"Existe um espaço entre o tesão e o descontrole onde se misturam loucura e sonho... É neste espaço que quero me perder com você... Élfica"

quarta-feira, 31 de dezembro de 2008

Jack Kerouac...


Eu só confio nas

pessoas loucas,

aquelas que são

loucas pra viver,

loucas para falar,

loucas para serem salvas,

desejosas de tudo ao

mesmo tempo, que

nunca bocejam ou

dizem uma coisa corriqueira,

mas queimam,

queimam,

queimam, como

fabulosas velas amarelas

romanas explodindo como

aranhas através das estrelas.

sábado, 27 de dezembro de 2008

2009...


Que 2009 seja um ano iluminado a todos...
que a Paz Verdadeira abrace o Universo...
Que a Grande Mãe continue nos abençoando,
nos alegrando e
nos protegendo...
NAMASTE

Beijos mágicos da Élfica

terça-feira, 9 de dezembro de 2008

puta Tua...



Vontade do teu gosto... todos eles...



________________________

segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

Hoje...

Imagem de Francesca Woodman, que se não fosse ela mesma, seria eu...



Há dias em que simplesmente acordar pode ser mair doloroso que morrer...

E há dias em que queremos dizer algo que sai errado e eu digo coisas que saem errado e depois dói e sangra...

E nesses dias, seria perfeito se não fosse mais possível sentir e nem voar.

Esse foi o hoje.

Élfica.

sábado, 6 de dezembro de 2008

A Oferenda - ou - O que me disse um vagalume, Alma Welt...

(dedico aos nossos grandes parnasianos, de Olavo Bilac a Vicente de Carvalho... A.W.)



Noite clara, a natureza em festa
Saúda-me feliz,
aqui no meu jardim
.

Um vagalume dança em minha testa
Dizendo: “Vem, me siga já, aqui, assim!”
“Vem comigo até o bom caramanchão

Onde podes exibir a tua alvura

Sem seres avistada por algum peão

Que te possa espreitar pra te ver nua...”

“Como num leito deita em teu vestido,
As pernas entreabertas, que na fenda,
Como uma pérola, talvez com um prurido


Pouso eu na concha que o Amor cultua,
Enquanto, minha Alma, em oferenda,
Abres teu corpo para a luz da lua!”





...um Texto destes não carece de imagem... Beijos da Élfica...


* * * * * * *

sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

... 9

"Era uma vez
uma mulher que
via um futuro grandioso
para cada homem
que a tocava.
Um dia
ela se tocou."

quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

Brecht e Picasso...

Se a mulher tem coxas gordas,
na relva dou-lhe um encosto

À saia e calça arejo as bordas,


ao sol – porque é assim que eu gosto.

Se a mulher morde feliz,


na relva eu esfrego o rosto

O ventre, os dentes e o nariz:


limpinhos – que é assim que eu gosto

Se a mulher entra num jogo fogoso,


mas descomposto

Eu rio e dou-lhe a mão, logo:


amável, que é assim que eu gosto.

Poema de Bertolt Brecht, gravura de Pablo Picasso

************

barulho de silêncio...


Rompendo o silêncio fresco
da alvorada
o trinado terno e simples
de um pardal
que madrugador,
apaixonado e sem temor
me poisou atrevido, no beiral.
Abrem-se-me os olhos
lentamente,
despertam-se os sentidos
mas ao lado,
o corpo morno e palpitante
chama-me de novo
para os lençóis
e eu sei que aquela pele perfeita
e o desejo
aquecem mais a minha
que mil sóis


Lloyd Cole – Perfect Skin

* * * * * * * * * *

Palavras...


As Palavras são como um cristal,
As palavras, Algumas um punhal,
Um incêndio.
Outras, orvalho apenas.
Secretas vêm, cheias de memória.
Inseguras navegam;
Barcos ou beijos,
As águas estremecem” (Eugénio de Andrade)



*****************

terça-feira, 2 de dezembro de 2008

Élfica, quasar de Dom R. ...

Tem dias



que eu preciso ser amada...




um amor como dessas imagens, que são apenas uma parte do que entendo por AMOR... então pára de brigar comigo. Não me larga assim, solta, sem você, sem teus comandos...




e me invade logo...
exerça-se sobre essa tua fêmea
que sempre está em cio...




prenda-me,
morda-me,
bata-me,
puxa os meus cabelos vermelhos,
queima-me, gela-me,
dá-me dor, calor...
dá-me medos imensos e intensos
descontrola-me...
invada-me os cortes,
as fendas,
as bocas todas... sou SUA...




derrota-me!
Não deixa eu ficar pensando
que faço merda... sei que você não vai me deixar
inteira:
vai me desmontar e remontar como apreciar...
e eu me entrego totalmente às suas mãos,
aos seus olhos, às suas vontades,
ao meu DONO...
acho que é isso tudo o que buscamos: completarmo-nos,
sermos UM...
nem uma notinha desafinando...
um único e perfeito som...
então,







arranha-me mais... amarra mais...
demarca a tua posse,
goza em mim...
esparrame-se por mim,
a tua "cadelfa"...




isso tudo é só o nosso jeito de amar...
então aproveita que estou assim,
"elficamente" TUA ...
toma as minhas rédeas e faz-me ser TUA... TUA fêmea...
teu quasar...
somente TUA.

Ouve os ruídos do meu gozo sufocado e desesperado...
vem...
mistura o teu com o meu...
entra na minha alma e desfalece comigo...
como é mágico desmanchar-se assim,
pertencendo e realizando as vontades TUAS
que são as minhas e
as minhas que são TUAS...

que loucura doce e morna escorre de mim só de pensar no Senhor!...

tua Élfica



***

Cultura...

"Cultura não é acumulação de informação, é assimilação de informação. Cultura é tudo aquilo que a gente lembra após ter esquecido o que leu. A cultura se revela no modo de falar, de sentar, de comer, de ler um texto, de olhar o mundo. É uma atividade que se aperfeiçoa no contato com a arte. Cultura não é aquilo que entra pelos olhos, é o que modifica o seu olhar.
Não é preciso ler muito, mas ler bem".

José Paulo Paes



**********************************

terça-feira, 25 de novembro de 2008

Nem a Lua, nem o Sol, nem Eu


















Hoje eu encontrei a Lua

Antes dela me encontrar
Me lancei pelas estrelas
E brilhei no seu lugar
Derramei minha saudade
E a cidade se acendeu
Por descuido ou por maldade

Você não apareceu

Hoje eu acordei o dia

Antes dele te acordar

Fui a luz da estrela-guia

Pra poder te iluminar

Derramei minha saudade

E a cidade escureceu
Desabei na tempestade
Por um beijo seu

Nem a Lua, nem o Sol, nem Eu

Quem podia imaginar
Que o amor fosse um delirio seu
E o meu fosse acreditar

Hoje o Sol não quis o dia

Nem a noite o luar.


Lenine


***********************

sábado, 22 de novembro de 2008

Dicionário de símbolos da Élfica... SOLIDÃO















... solidão é
ausência de quem amamos,
de quem precisamos,
de quem desperta em nós sentimentos tão grandes a ponto de nos abandonar...

solidão é abanDONO.



**********************

quinta-feira, 20 de novembro de 2008

BOM DIA!

Que teu dia seja
intenso
alegre
e
mágico
beijos todos meus ao SENHOR...

Mais desejos...



Ninguém sai impune à realização dos próprios desejos.

Ainda bem.

Há dias em que a gente quer ser bem ca
stigadinha...

















...

SUA...

... e eu, com a bundinha toda pálida e assanhada, falei a ELE com voz dengosa e decidida: sou toda SUA! Faça o que o SENHOR quiser...



**********************

Orando?


Estou nua e ajoelhada
Esperando que ele agarre os meus cabelos
E me puxe para o meio de suas pernas
Como se ele quisesse me parir pra dentro


*****************


Toma-me...


Estive um tanto intensa no que andei pensando...

Quando vi esta foto, imaginei que poderia pensar a submissão como ato eucarístico.

Eis a entrega,

"Tomai e comei, isto é o meu corpo"







*****************************************

quarta-feira, 19 de novembro de 2008

Eu não sei o que em meu corpo habita...

que me deixa assim, feliz e mansa te esperando...




************************************************

sexta-feira, 14 de novembro de 2008

NAMASTE


" Aquilo que existe em mim e
faz parte de mim... pode ser
transformado...

se eu quiser...


Aquilo que é do outro...
só pode ser transformado por ele...

e será compreendido e aceito por
mim... dentro dos meus limites...

se existir respeito...


Posso falar ao outro como
me sinto em relação ao que ele
faz ou diz...

se houver liberdade...


Não posso afirmar:
“Aquilo que o outro fez ou disse
me feriu...”

Eu é que me feri com aquilo
que ele fez ou disse...
tenho opções...


Eu sou dono das minhas emoções...
sensações e sentimentos...

Também... das minhas atitudes...
pensamentos e palavras !

maravilha...


Não é coerente dizer que
fiz algo para alguém... só porque
alguém fez isso comigo primeiro...

Se eu agisse assim... eu seria
apenas resposta e eco...

sem vida...


É mais valioso optar por agir
ao invés de apenas reagir...

É mais sensato perceber que
sou dono das minhas ações... e
se faço algo... sou o responsável por isso...

tenho escolhas...


Reconheço que as rédeas do meu
destino estão nas minhas mãos...

e me recuso a segurar as rédeas
do destino do outro...

é meu direito...


Busco o Amor em sua mais
bela expressão... e por isso
abro mão de querer ter o controle
sobre a vida do outro...

Amém...


Quero amar com liberdade !
Quero amar com plenitude !

Quero amar antes de tudo...
porque é bom...
Amar com Respeito e Liberdade!"
(Autor: Kali Mascarenhas)


******************************************************

quinta-feira, 6 de novembro de 2008

Não é dica... é conselho!

1) Jantar às cegas...
(Fernando Oliveira)

Ao chegar ao restaurante, os olhos são vendados. Versos de Baudelaire
são sussurrados ao pé
do ouvido. Sem enxergar nada, o comensal tenta adivinhar o que lhe servem, diretamente
na boca. Parece brincadeira, mas é isso que acontecerá todo mês na Osteria Candalüga, num evento chamado Sabor e Ilusão.

Desenvolvido pela atriz Thereza Piffer e pelo Grupo Sensus, o projeto se propõe a unir arte e gastronomia numa iniciativa pioneira. “Tive a idéia quando fiquei sabendo de lugares em Barcelona nos quais os garçons são cegos e a comida é servida no escuro”, conta Thereza. A expectativa dos clientes fica clara assim que têm os olhos tapados. “O cardápio é surpresa, só se descobre na hora”, diz o chef Flávio Braul.

A intenção é, privando um dos sentidos, ampliar os outros. Durante o experimento é possível sentir o forte aroma de ervas, ouvir o tilintar de taças de vinho, comparar texturas dos alimentos servidos. “A intenção é brincar com a sensualidade do gosto”, diz Thereza. “Cada um recebe de uma maneira diferente, vai de acordo com a imaginação.”

Após a apresentação, o jantar – sem as vendas – segue com
“Tortelli de Zucca”, “Salmão no Molho de Alcachofra” e “Torta
de Pêra com Nutella”. A partir do dia 31, o evento acontecerá mensalmente, ao custo de R$ 130 por pessoa. Para o ator Rafael
Menta, a experiência vale a pena. “A gente fica totalmente à mercê,
com paladar e olfato aguçados.”

Osteria Candalüga – r. José Maria Lisboa, 1065, tel. (11) 3085-3015.


Jantar às cegas II

Abra a boca e feche os olhos. Assim comeca o jantar às escuras promovido pelo Bistrô Charlô. A instigante novidade promete aguçar os sentidos, especificamente, o olfato e o paladar dos interessados em novas experiências gastronômicas. Os clientes terão os olhos vendados e não saberão qual será o menu ou os ingredientes utilizados na receita. Febre em Nova Iorque e nas principais capitais européias, chegou a vez do paulistano render-se a mais essa novidade do mundo da culinária. Em uma cidade onde já se viu de tudo, essa experiência cega tem tudo para agradar. [camila pompeu]



Hmmmmmmmmmmm

SENHOR A...


Como é delicioso estar assim, submissa compartilhada com Alguém tão merecedor de mim, do meu Amor, dos meus carinhos e principalmente do meu Tesão... A... DONO de mim, SENHOR A... Pessoa maravilhosa que me torna completa em todos os momentos... meu Amante, meu DONO, meu cúmplice, meu Amigo, meu confidente, DONO de mim e de meus segredos, alamedas, meus cantos e sombras... minhas luzes... MEU SENHOR... meu TESÃO... desnudar-me a Ti é me vestir algo translúcido que faz eu me sentir TUA e sagrada... como Te Adoro!


SENHOR A - DONO de élfica diz (00:53):

Amor ...paixao..e desejo..

Nem sinto o vento roçar meu rosto

Deixar ...tocar ...vibrar ...

Relembrar os meus anseios...

Em cada instante: teu corpo

Atordoando meus sentimentos ...

... esse é TEU acróstico...






******************************************

domingo, 2 de novembro de 2008

Dia de elevação dos pensamentos aos Irmãos e Irmãs Desencarnados...















ENCARNADOS E DESENCARNADOS

Tenho muitos amigos.
Encarnados e desencarnados.
Quando sinto saudade ligo pra um... pra outro.
... ou escrevo.
Com os desencarnados eu falo no silêncio do meu coração e eles me ouvem.
Porque em algum lugar a energia deles se conecta à minha energia.
Da tristeza, da saudade, no reencontro encontro alegria.


Minhas saudades todas transformadas em magias para vocês Irmã e Familiares, Amigos, Conhecidos e Desconhecidos, que no Mundo Eterno, vocês sejam mais felizes e continuem no caminho da Evolução.

Não penso que a separação do corpo físico seja um motivo infeliz realmente... a cada Amada Pessoa que eu vi deixar este plano, senti muita dor, evidentemente, chorei muito e ainda choro, mas é um choro de saudade e talvez por não ter feito mais do que eu fiz e fazer o que eu realmente queria ter feito por muitos de vocês... muitas vezes deixei de dizer EU TE AMO à Quem realmente amei e amo.


Hoje, penso que não os perdi, mas os ganhei em outro plano... não sei se o termo DESENCARNADOS é adequado, mas penso que desencarnado do corpo físico seja o RECOMEÇADO na VIDA ETERNA, plena e verdadeira.
A vocês todos, meu sincero AMOR FRATERNO.

NAMASTE


sábado, 1 de novembro de 2008

Nuestros Momentos, Amado SENHOR...

Nuestros Momentos
(O.M.)

Son encuentros de ternura y de magia
Que este fuerte sentimiento propicia
Y arrebata los más puros pensamientos...
Tienen amor, tienen cariño, obsesión,
Amistad, alegría, adoración,
E tienen mucho, mucho más...
Nuestros momentos!...

Son centellas y chispas de amor en el aire
Son promesas envolventes en el mirar
Y en el pecho, tempestades de emoción...
Yo te miro, tu me miras, nos deseamos,
Yo te quiero, me convidas, nos amamos,
Y el amor nos envuelve en pasión.


de su niña élfica que LO adora

Besos mágicos de mi alma por la suya...


****************************************************

quinta-feira, 30 de outubro de 2008

DONO QUERIDO...

SENHOR ASH - DONO de élfica diz (00:10):
Preste atençao..............:
{élfica}_ASH - "cadelando" para o DONO... ocupadíssima!!!!!!!! diz (00:10):
sim, meu ASH

SENHOR ASH - DONO de élfica diz (00:11):
Amar significa viver .....

SENHOR ASH - DONO de élfica diz (00:11):

Nada compara-se a VOCE
SENHOR ASH - DONO de élfica diz (00:11):

Dizer q sou feliz , é pouco....

SENHOR ASH - DONO de élfica diz (00:12):
Recordo da minha adolescência ...
SENHOR ASH - DONO de élfica diz (00:12):
Eterno para teus olhos ...


(...)


DONO QUERIDO...
adoro recordar-te em tuas próprias letras e poemas... lê-lo, assim, faz eu me sentir juntinho de TI, ouvin
do tua voz bem gostosa me mimando... enxergar teus olhos me observando... sentir...

...quanta saudade de TI!
Meus beijos todos ao SENHOR...

Hoje, ao amanhecer, farei uma prece linda pra dar tudo certinho no que farás... e sei que dará!

TE ADORO...


NAMASTE






***************************************************************************

segunda-feira, 27 de outubro de 2008

Quero voltar pra casa... pra MINHA casa... esta:

...







"Assim terminou a Primavera de Arda.
A morad
a dos Valar em Almaren foi totalmente destruída, e eles
não tinham nenhum local de pouso na face da Terra.
Por esse motivo partiram da Terra-média e foram para a Terra de Aman, a
mais ocidental de todas, junto aos limites do mundo; pois
seu litoral oeste dá para o Mar
de Fora, que
circunda o Reino de Arda.
E como Melkor estava de volta à Terra-média
e eles ainda não tinham como derrotá-lo, os Valar fortificaram sua morada e,
junto ao litoral,
erguera
m as Pelóri,
as montanhas de Aman, as mais altas de toda a Terra.
E acima de todas,
e
levava-se aquela em cujo pico Manwë instalou seu trono,
a Taniquentil.

Por trás das muralhas,
os Valar estabeleceram seu domínio na região chamada Valinor.
Nesse território seguro, eles acumularam enorme quantidade de luz
e tudo de mais belo que fora salvo da destruição.
E muitas coisas ainda mais formosas eles voltaram a criar;
e Valinor tornou-se ainda mais bela do que a Terra-média na Primavera d
e Arda.
E não havia mácula alguma em flor ou folha naquela terra;
nem nenhuma decomposição ou enfermidade em coisa alguma que fosse viva;
pois as próprias pedras e águas eram abençoadas."





O Silmarillion... a gênese segundo Tolkien...
O filólogo inglês John Ronald Reuel Tolkien (1892-1973) criou uma saga maravilhosa que contagiou gerações e continua povoando a imaginação de leitores com aventuras que remetem a eras longínquas e terras habitadas por seres fantásticos. Muitos críticos viram em seus livros reflexos simbólicos da realidade européia do período entre guerras e da Guerra Fria.

Com certeza, deve haver alguma correção nisso, uma vez que Tolkien combateu na Primeira Grande Guerra e publicou seus livros entre as décadas de 30 e 50. O Hobbit foi escrito em 1937. A trilogia O senhor dos anéis, que o tornaria conhecido internacionalmente, foi escrita entre 1954 e 55, e fez enorme sucesso nos anos 60.

Com o lançamento do Silmarillion, o leitor brasileiro finalmente tem acesso à obra completa de Tolkien sem precisar caçar as edições da Europa-América, de Portugal (excelentes, diga-se). Embora o livro só tenha sido publicado quatro anos após a morte do autor, graças à cuidadosa edição de seu filho Christopher, começou a ser escrito em 1917, quando Tolkien era tenente do exército inglês em serviço na França. No início, os rascunhos a lápis em caderninhos variados pretendiam se tornar uma série de contos (O livros dos contos perdidos). Com o tempo as anotações se multiplicaram e, mesmo escritas muitas vezes às pressas, traçaram um painel colossal das origens da Terra Média e de seus habitantes: hobbits, elfos, monstros, homens, anões, fadas e magos. É divertido imaginar o austero professor de Oxford, à noite, em frente à lareira, rabiscando odisséias míticas enquanto degusta seu inseparável cachimbo. Para os alunos, o professor era esquisito. Para seus leitores fiéis, um criador fabuloso.

O Silmarrillion é o livro da criação do universo de Tolkien. Nele desfilam as genealogias mitológicas que fundamentarão os ciclos históricos da Terra Média. É como o texto bíblico do Gênese. Na versão de Tolkien o mundo tem origem na música, proposta pelo criador Ilúvatar. Como na tradição bíblica, entre os sagrados (variante para os anjos), há aquele extremamente talentoso que desafia as regras do criador e estabelece uma dissidência, Melkor. A riqueza de detalhes mitológicos, as genealogias dos personagens, os cenários descritos e mapeados com rigor, as variantes narrativas, o trabalho de criação de uma linguagem própria e muitos outros recursos (como uso de poesia e música) fazem dos livros de Tolkien uma fonte inesgotável de deleite, aprendizado e revelação.

As silmarils eram as três gemas perfeitas entalhadas pelo elfo de maior talento, Fëanor. As pedras foram roubadas pelo senhor das forças obscuras, Morgoth, uma espécie de personificação do mal na Terra. As gemas foram engastadas em sua coroa de ferro e sua recuperação gerou a feroz batalha entre os altos-elfos e as forças negras de Morgoth. Como se vê, a clássica luta entre os poderes da sombra e os da luz. Tolkien alia com extrema habilidade e criatividade elementos da mitologia celta com os da greco-latina. Além disso, o autor acrescenta fortes doses de lendas medievais e do romanceiro de cavalaria. Também é fácil identificar a presença marcante das fábulas nórdicas de duendes e gnomos. Mas o resultado nunca é uma mera paródia. Ao contrário, sua ficção nos oferece um mundo próprio, perfeitamente fechado em si, com uma coerência impressionante. Os elementos se combinam e se completam em múltiplas direções, convergindo para aventuras emocionantes. Há momentos de forte tensão, outros comoventes. Não é à toa que o autor teve que antecipar a edição dos volumes dois e três da trilogia O senhor dos anéis por pressão dos leitores, que ficaram ansiosos por acompanhar os desdobramentos da misteriosa demanda do jovem hobbit Frodo.

O Silmarillion representa uma espécie de suma teológica do complexo mundo dos hobbits. Leitura para quem ainda se encanta com fábulas e sabe que a magia faz parte da realidade... como EU.




Tolkien...



****************************************************

quarta-feira, 22 de outubro de 2008

Todas as horas...

Vênus e Cupido, por Agnolo Bronzino... um dos meus preferidos...


Fico imaginando você todas as horas, todos os momentos...

Fico com você na minha cabeça...

Desenho castelos para lhe dar, pinto nuvens sem aquarelas e pincéis

todas as horas...


Me pego construindo sonhos subindo nas montanhas, me pego voando

deixando meu corpo e indo lhe encontrar.


Todas as horas do meu dia fico pensando em você

E nesta magia que tentei evitar (eu não evitei)...


Não sei amar pouco e não sei gostar pequeno...

Todas as horas do meu dia, e não são poucas as horas do dia,

penso em você, desenhando momentos,

construindo cada vez mais desejos...

todas as horas minhas são SUAS...


aO DONO de mim, ASH...